TAG: HAVE A VERY BLOGGY CHRISTMAS

have-a-very-bloggy-christmas

Responder tags e ganhar selinhos, me lembra muito o meu antigo blog, o Sonho doce, sonho.

Era uma maneira de conhecermos melhor as donas dos blogs amigos.

Hoje, fiquei muito feliz em receber a minha segunda tag, depois que mudei para o Natsukashi.

A primeira, respondi no meu outro cantinho de variedades.

A tag de hoje, recebi da querida Vanessa do Alucinações da Alma.

Vamos as Regras:

Agradecer e divulgar o blog que te nomeou;
Responder as 12 perguntas e
Nomear 12 bloggers que queres que realize o Tag.
Perguntas e as minhas Respostas:

Árvore de natal artificial ou natural?

Artificial

Natal com neve ou sol?

Tenho saudades dos Natais no Brasil com muito sol.

Sou muito friorenta.

Esperar pela manhã ou abrir os presentes à meia noite?

Eu sou a ansiedade em pessoa.

Qual o filme que adora ver nesta altura

Filmes românticos

Cânticos de natal nos shoppings. Sim ou Não?

Sim, vai nos envolvendo no clima de Natal

Qual o uniforme que usa no dia de natal? Pijama ou veste toda bonita?

Tento caprichar no look, mas aqui no Japão com o frio, fica difícil.

Qual a sua comida de natal favorita?

Vale sobremesa??? rs….. Rabanada

O que quer receber este natal?

minha lista é enorme, seria uma batedeira ou uma paleta de maquiagem

Planeia antecipadamente os presentes ou é à ultima hora?

Com certeza, antecipadamente…..aprendi isso no Brasil.

ultima hora, as lojas e  super mercados ficam uma loucura.

Veste de Pai Natal?

Não

Qual a sua musica favorita do Natal?

Eu gosto de uma musica japonesa, “Christmas Eve do Yamashita Tatsuro”

tenho vontade de chorar………

Onde vai passar o Natal este ano?

Na casa dos meus Pais.

Queria agradecer a Vanessa pela indicação, obrigada!!!

E para finalizar o post, a minha musica de Natal preferida.

>BLOGAGEM COLETIVA FASES DA VIDA: ADOLESCÊNCIA

>

E finalmente, chegamos ao terceiro post da blogagem coletiva das Fases da vida, com o tema : Adolescência

Blogagem coletiva promovida pelas amigas

Rute do Publicar para Partilhar
Gina do Naco Zinha
Orvalho do Espiritual-idade

Acho que esse é um dos meus posts preferidos, pois falar dos anos 80/90 para mim, é uma alegria.
Mas por outro lado complicado, porque queria falar sobre tantas coisas….
Queria falar, da paixão que eu tinha pelo grupo Menudo, das matinês de domingo na Contra-mão no Tatuapé, da época saudosa da escola, dos bailes nas garagens das casas com direito a luzes e Dj’s, enfim, tinha um leque de opções, mas preferi vir aqui falar
de como transformei lágrimas em sorrisos, sofrimento em superação e sonhos em conquistas.

Aos 13 anos, fiz datilografia na escola Prof.Hugo, e aos 14 anos comecei a trabalhar em um escritório como Auxiliar de escritório, entrei por indicação do meu Tio João, que era amigo do dono do Comércio.
Trabalhava de dia e estudava a noite.
No começo foi dificil, pois tive que mostrar que apesar da idade, tinha muita vontade de aprender.
Tanta vontade, que de auxiliar de escritório, passei para auxiliar de cobrança.

Mas em 1991, veio a surpresa…tive que viajar para o Japão com a minha família, na epoca estava com 15 anos, e assim , interrompi alguns sonhos, a de estudar e me formar.
Foi uma epoca muito dificil, pois não dominavámos a língua japonesa, e morávamos num alojamento só de brasileiros.
Imagina, ter que fazer fila para ir ao banheiro, tomar banho e lavar roupa?
Motivo de muitas brigas e confusões.

Comecei a trabalhar com 17 anos numa fábrica de Lulas, junto com uma amiga, a Célia.
Éramos as primeiras brasileiras a entrar nessa fábrica, e por isso, a adaptação foi dificil.
Me lembro que as veteranas, nos chamavam de “GaijinSan”(estrangeiras), e nunca pelo  sobrenome.
Viviam empurrando os piores serviços para nós, como a de entrar dentro de uma geladeira, onde  congelavam até os nossos cilios, e sempre falando de nós e rindo muito, já que não entendíamos nada.
Chorei muito, mas não desisti.
Aprendi a falar a lingua japonesa assistindo “Doramas”(novelas japonesas), e escutando músicas.
E só assim, consegui conquistar a confiança das veteranas, que passaram a nos tratar bem.
Tão bem, que chorei muito quando tive que voltar para o Brasil com a minha família.

E depois desses, vieram outros empregos, outras lágrimas, superações, alegrias e conquistas
   Minha irmã Andréia e eu
Com 18 anos e muitas espinhas no rosto
E voltando um pouco no tempo…..antes de viajar para o Japão.
Eu, concluindo a Catequese.
Para o meu pai, missa aos Domingos era sagrado

                                                         Minha irmã, minha prima e eu

Minha Colação de grau 1990
Eu sou a mais baixinha…kkkkkkk

                                            Meu baile de formatura, no Clube Atlético Juventus 1989

E a receita de hoje, não poderia ser diferente.
Esses bolos de coco embrulhados, eram as sensações das festas de aniversário dos anos 80/90.
Deliciosos,eles sempre vinham dentro de uma bela caixa de bolo feita de isopor.
A receita peguei daqui, um passo a passo dado pela chef Carole Crema
Para a massa:2 xícaras (chá) de farinha de trigo
3 xícaras (chá) de açúcar
5 ovos (claras e gemas separadas)
1 xícara (chá) de leite
1 colher (sopa) de fermento em pó

Na batedeira, bata as claras em neve
Com as claras bem consistentes, adicione as gemas sem parar de bater e aos poucos acrescente o açúcar
Adicione aos poucos a farinha de trigo misturada ao fermento em pó, não despeje tudo de uma só vez
aos poucos, alterne a farinha e o fermento com o leite
Depois de bater muito bem todos os ingredientes, despeje a massa em uma forma untada e com papel manteiga no fundo. Leve ao forno preaquecido na temperatura de 180º e asse por cerca de 40 minutos ou até dourar e a massa estiver completamente assada. O tempo vai variar de acordo com o forno

Para molhar o bolo, prepare a calda com os seguintes ingredientes:

400 g de leite condensado
400 g de leite
200 g de leite de coco
Coco ralado para cobrir os pedaços


Misture todos os ingredientes com um fouê até o leite condensado dissolver. A mistura não precisa ir ao fogo
Com o bolo assado e ainda quente, faça furos com um garfo para a calda penetrar e o bolo ficar bem molhadinho
Despeje delicadamente a calda em todo o bolo
Deixe o bolo na geladeira por no mínimo duas horas. Em seguida, retire, corte em pedaços iguais utilizando um cortador ou uma faca
Coloque o coco ralado em um recipiente e mergulhe um pedaço de cada vez no coco, com cuidado para não quebrar a massa, e cubra-o totalmente
Separe os bolos já cobertos de coco ralado em cima de pedaços de papel alumínio
Embrulhe um a um e leve à geladeira dentro de um recipiente de plástico. Deixe gelando por mais um tempo e sirva a hora que desejar com um café fresquinho.

                                                                     

>BLOGAGEM COLETIVA FASES DA VIDA: INFÂNCIA

>

Essa é a minha segunda participação na blogagem coletiva sobre as fases da vida proposta pelas amigas
Rute do blog Publicar para Partilhar
Gina do blog Naco Zinha
Orvalho do blog Espiritual-idade

O tema de hoje é sobre a INFÂNCIA.

Cresci vendo os meus pais trabalhando muito para pagar as contas e o aluguel de casa.
Roupas novas, só no final de ano, ou em datas especiais.
E muitas das minhas roupas, eram usadas, dadas pelas minhas tias.
Meu primeiro aparelho de som, foi comprado pelo meu pai no Jumbo Eletro.
Até então escutavamos as músicas numa vitrola emprestada pela minha tia.
Tive uma só boneca, a bebê Coração, talvez seja por isso,que  me lembro dela até hoje, 
talvez se tivesse tido muitas bonecas não teria dado o devido valor.
Muitos dos meus sonhos, consegui realizar através da minha irmã caçula 
e dos meus filhos, que foi a Barbie que sempre quis, mas era muito caro, 
e a bicicleta que ganhei aos meus 17 anos no Japão(para ir trabalhar).
Mas  isso, não me fez ser menos feliz, pois a cada presente que eu ganhava, comemorava muito, e todos eles estão guardados na minha memória e no meu coração.
Esse post não é para chorar, e sim para mostrar que as coisas que eu não tive, se tornaram insignificantes, perto das belas lembranças que os meus pais me proporcionaram.

                                                              Meu aniversário de 2 anos

                                                               Meu aniversário de 3 anos

Eu e minha irmã Andréia
Meu niver de 10 anos*detalhe do bolo de Moranguinho
Eu e minha irmã Andréia
Detalhe* minha mãe que fazia os vestidinhos.

                                            Meu pai, comigo no colo e minha irmã Andréia

Eu e minha irmã no Parque do Carmo, lugar que meus pais sempre nos levavam para brincar.
Eu imitando o grupo Patotinha, alguém conhece??
Minha mãe e eu
eu e a minha covinha

Eu, de miss boneca viva 1983
Não reparem na meia calça caindo…kkkkk
Eu, com minha irmã caçula Juliana.
                                                                  11 anos de diferença
Hoje trago duas receitinhas que lembram a minha infância.
A primeira são esses biscoitinhos, conhecidos como Bicho da Seda.
Minha mãe sempre fazia, e a minha lembrança era de ajuda-la, junto com a minha irmã.
Ela colocava a massa na maquina de moer carne, e enquanto ela girava a manivela, 
pegavamos os biscoitos e colocavamos na assadeira.
Esqueci de pegar a receita com a minha mãe,
mas joguei no google e a única receita testada com fotos, foi essa do blog Come-se
E também não tenho a maquina de moer carne, 
por isso fui moldando os biscoitos conforme a minha memória me permitia lembrar.

 Biscoitos Bicho-da-Seda. Baseados na receita do caderno de Áurea Deodato de Carvalho

1/2 xícara de manteiga sem sal, em temperatura ambiente, mas ainda firme
2 xícara de açúcar
1 pitada de sal
2 ovos grandes em temperatura ambiente, batidos ligeiramente
2 e 1/2 xicara  de farinha de trigo
1 xícara de leite
400 g de amido de milho (maisena)
1 colher de sopa de fermento
1 pacote de coco ralado (100 gramas)

Na batedeira, bata bem a manteiga até ficar cremosa. Junte aos poucos o açúcar e continue batendo até formar uma mistura aerada. Com a batedeira ligada, vá juntando os ovos, em fio, para formar uma emulsão. Se talhar, junte um pouco de farinha. Depois de colocar todo o ovo, desligue a batedeira. Junte, alternadamente, a farinha de trigo, o leite,a maisena e o coco ralado misturando com uma colher de pau ou espátula. Quanto a massa estiver homogênea, junte  o fermento. Misture bem e molde os biscoitos na máquina de moer carne, com a peça para biscoitos. Coloque-os em forma untada com manteiga e enfarinhada, leve ao forno pré-aquecido médio e deixe assar até começar a dourar.

Eles deveriam ser mais finos..kkkkkk, os meus viraram bichões de seda.

A segunda receita são esses espetinhos de picanha, temperados com flor de sal.

Eles me fazem lembrar das noites divertidas que passei com o meu pai, enquanto esperavamos a minha mãe sair de um curso de cabelereiro.
Ficavamos numa praça da Vila Manchester/Vila Carrão, comendo espetinhos de um casal de japoneses que vendiam por lá, e depois meu pai nos levava para brincar no clube Manchester.

>BLOGAGEM COLETIVA FASES DA VIDA: NASCIMENTO

>

Vim dar minha contribuição para a blogagem coletiva proposta pela amiga Rute e as irmãs Gina e Orvalho.
Na verdade, fiquei com receio sobre o que escrever,
 mas com a emoção a flor da pele, depois de ler alguns posts falando sobre o Nascimento, em todos os sentidos, veio a inspiração.
obrigada Rute, pelo convite!
“BLOGAGEM COLETIVA SOBRE AS FASES DA VIDA”
“NASCIMENTO”
Quem me conhece sabe que sou um poço de timidez.
Falo muito pouco e isso, vem desde a época da escola.
Ficava vermelha  e com o rosto queimando quando tinha que fazer uma leitura em classe,
 ou uma apresentação de teatro.
Esse meu jeito timído e reservado, muitas vezes passa a impressão de uma pessoa arrogante e metida, coisa que não sou, e nem sou fã.
Por causa desse meu jeito, tenho poucas amigas reais…..
O blog sempre foi uma ferramenta de ajuda para encontrar receitas, 
mas o que eu não sabia, era que graças a ele, 
encontraria muitas amigas, e que com o tempo,
elas se tornariam as minhas amigas virtuais.
Nem vou citar os nomes, porque todas tem um cantinho especial no meu coração.
E os meus olhos até enchem de lágrimas quando leio um comentário cheio de carinho, só elogiando o meu prato.
Por isso, posso afirmar com toda certeza, que amizades verdadeiras também nascem através da tela do monitor, e atravessam fronteiras, mares…. e é a todas elas que dedico o post de hoje.
BOLO DE CHOCOLATE E ABOBRINHAS
A receita de hoje é especial, e posso afirmar que é um dos melhores bolos que provei até hoje.
E olha, que cheguei a duvidar disso, enquanto misturava a massa.
Ela veio para fechar com chave de ouro, o post falando sobre o Nascimento da amizade, 
e mostra o quanto tenho aprendido com outros blogs.
A receita peguei da Simone do Chocolatria
240 g de farinha de trigo
60 g de cacau em pó
1 colher(chá) de bicarbonato de sódio
½ colher(chá) de fermento em pó
½ colher(chá) de sal
180 g de açúcar mascavo
115 g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 colher(chá) de café instantâneo
3 ovos grandes
2 xicaras(chá) de abobrinha ralada com casca
200 g de chocolate meio amargo triturado no processador ou bem picadinho
Modo de Fazer:
Pre-aqueça o forno a 180oC. Utilizei uma fôrma de aproximadamente 25 cms de diâmetro, untada e polvilhada.
Misture os secos: a farinha, o cacau em pó, o bicarbonato de sódio, o fermento em pó e o sal.
Em outra tigela, misture a manteiga e o açúcar mascavo até obter uma mistura leve e macia. Adicione o café, os ovos e misture bem.
Em uma terceira tigela, combine a abobrinha ralada, o chocolate picadinho e cerca de 1/3 da mistura dos secos. Envolva a abobrinha com esta farinha, com o cuidado de não deixar esta mistura muito encaroçada.
Adicione o restante dos secos na mistura de manteiga e açúcar e misture bem até combinar. A massa ficará pesada. Adicione nesta massa a mistura de abobrinhas e misture o suficiente para obter uma mistura homogênea, mas cuidado para não misturar em excesso. Despeje na fôrma preparada e alise a superfície.
Leve ao forno por 40-50 minutos – o meu levou 55 minutos. Cuidado, pois se fizer o teste do palito, sempre ele sairá melecadinho por conta do chocolate derretido. Observar se a massa já formou a crostinha na superfície e não treme quando balança.
Retire do forno , deixe abafar por cerca de 30 minutos e só então desenforme.

As abobrinhas desaparecem.
Deixei alguns pedaços maiores de chocolates, e olha só o efeito…..